arquivos-diversos2

Life Behavior ║ por Roberto Sena: LB entrevista: Nina Vieira, do blog 'Cronista Amadora'

16.3.14

LB entrevista: Nina Vieira, do blog 'Cronista Amadora'



Nome, idade e onde vive:
Eu sou a Nina, tenho 21 anos e moro em Salvador (Brasil).

Um pouco sobre você:
Nasci e vivo em Salvador. Pouquíssimas vezes saí daqui, mas todas as viagens que faço não exigem passagem, já que navego pelos livros e por toda a imaginação que eles me proporcionam desde a infância. Ler muito me levou a escrever também, em demasia até. Tenho um blog pessoal há mais de cinco anos e sempre preferi o amadorismo do título que ele carrega. As crônicas são uma paixão na minha vida e o blog é pessoal, tem o aspecto de diário mesmo, embora sua base seja genuinamente literária. Esse espaço só me proporciona alegrias. Através da experiência e divulgação que tenho com ele, já fui colaboradora de uma revista online e também já escrevi a introdução do livro de uma grande amiga. Hoje sou casada e tenho planos de me mudar daqui. Alcançar horizontes "reais" para além das páginas de um livro.

Motivo por estar envolvida com moda:
Quando mais nova, fui modelo. Mas não tive coragem de continuar porque aqui em minha cidade o mercado é escasso e eu pretendia continuar meus estudos. Sempre fui muito tímida na moda, diante dos outros. Mas comigo mesma, adoro uma biografia de grandes nomes dos profissionais desse ramo - sobretudo das modelos (li recentemente "Preciso Rodar o Mundo", da Michelli Provensi e me encantei). A vida delas me interessa muito. Acompanho perfis no Instagram de grandes agências, modelos e estilistas. Leio revistas sobre moda (no momento, a Elle é minha predileta) e também acompanho conteúdo online (como o site FFW, ótimo para tendências e informações acerca dos grandes empresários. Esse portal nunca decepciona). Vejo desfiles das semanas nacionais e internacionais de maior relevância pelo Youtube. Acompanho o blog da Betty Autier - porque ela repete roupa e não exagera nas produções. Os looks dela são absolutamente possíveis e aplicáveis. Sempre que olho para o meu guarda-roupa e vejo que tudo é horrível, entro em seu blog e percebo que uma peça minha é parecida com a dela. Daí me sinto melhor!

Nome do seu blog e que tema aborda especificamente:
O 'Cronista Amadora' aborda principalmente literatura, que é minha paixão maior. O blog é repleto de resenhas, mas todas elas são recheadas da minha vida pessoal. Todo livro que eu leio transmite um pedaço de mim. Gosto de dialogar com o leitor, não me posicionando como uma crítica, mas sim como uma amiga. Posso falar que semana passada tomei um sorvete muito bom e, à partir daí, abro discussão para a minha última leitura. O blog tem parceria com algumas editoras e os dois anos nos quais trabalhei em livraria foram muito enriquecedores para mim e para o conteúdo dele. 

Marca ou estilista favorito:
Não vou te dizer com certeza, porque estou me descobrindo ainda. Tenho amado o trabalho de Karl Largefeld na Chanel. O homem é genial, não apenas nas roupas e assessórios, cada vez mais com o frescor da juventude, mas também pelos cenários que cria para os seus desfiles, pelas musas que escolhe para suas campanhas (a atriz britânica Keira Knightley, por exemplo). Ele coloca tênis e vestido longo na passarela, em plena alta-costura. Sei que nem todo mundo gosta, mas eu fiquei encantada - e te juro que usaria. Também amo Valentino, mas acho demais para mim. É tudo muito belo, mas olho para mim e percebo que sou menor do que aquelas criações! São roupas que "eu não mereço", digamos assim. Tenho adorado Moschino e Miu-Miu. O que são aquelas cores? Aqueles tons e referências?! Essa vibe "have fun" que essas duas últimas apresentam me agrada demais.

Peça de vestuário favorito:
Acredite: um vestido azul bebê e listrado, que comprei na sessão infantil da C&A anos atrás. O danado ainda cabe em mim e é minha peça curinga. Eu me vejo linda nele, nunca desgrudei desse vestidinho velho. Combina com tudo. Do salto à rasteirinha. Com meia-calça ou casaquinho. E ele tem um discreto laço frontal, abaixo dos seios. É uma peça adorável.

Blog que indica para visitação e motivo:
Indico o 'Não Sou Exposição'. Existem blogs nos quais você sempre aprende algo positivo e diferente para encarar o mundo.Eis um desses poucos espaços virtuais. A autora não se identifica, mas ela trata da autoestima feminina com muita delicadeza - mas sem fragilidades e afetações. E em todos os âmbitos. No campo profissional, na vida pessoal... No corpo, na mídia que às vezes não nos representa. Toda a cobrança da mulher atual na sociedade é questionada nesse blog. A cada clique, saio de lá com mais vontade de ser eu mesma do que de imitar outra pessoa, como uma celebridade, por exemplo. 

Hobby nas horas vagas:
Ler! Também adoro navegar pela internet. Mas leitura será sempre o meu hobby predileto e incansável.

O que faz atualmente e projetos para o futuro:
Atualmente estou tirando férias (merecidas, viu). Futuramente, pretendo voltar para a moda. No momento, é tudo que posso dizer.

O que considera inadmissível em um look:
O inadmissível nunca será o look, mas sim a pessoa que o sustenta. Existem roupas que não ficam bem em todas as pessoas. E não estou falando do peso ou altura de alguém, mas sim do estilo dela, do conforto que ela terá ao vestir uma determinada peça. Se uma bolsa verde-limão cai na minha mão, sei que me faltará coragem de sair com isso na rua. Mas a Lady Gaga, por outro lado, creio, adoraria. Entende a diferença? A moda precisa ser democrática e acessível. Mas você não precisa usar tudo o que está na moda. Senão, corre o risco de ser uma "fashion-victim". Hoje, no Brasil, estamos recheadas delas: são as blogueiras de moda (obviamente, não todas). A maioria usa tudo que está numa vitrine, raras são as peças atemporais. A quantidade fala mais que a qualidade. A cada estação, é uma renovação cada vez mais frustrante e ridicularizada (aos olhares alheios) no guarda-roupa dessas moças. E o pior: essas moças são os exemplos para a sociedade, as massas. Erram mais do que acertam e o senso de estilo vai embora a cada temporada. O lado bom disso tudo? Elas são tão esquecíveis quanto a vergonha de termos, um dia, usado calça saruel. Blogueiras deslumbradas também tem prazo de validade.

O que considera essencial para vestir-se bem:
Bom senso, conforto e a noção do que você quer transmitir com aquela roupa. A moda nos dá a oportunidade da comunicação - porque ela também é arte. Que personagem você deseja ser hoje? Mesmo que a roupa nada tenha a ver contigo - o que agora me coloca em contradição, eu sei - essa pergunta precisa ser feita. 

Considerações gerais:
Minha consideração será um conselho: repita roupa, não seja escrava das tendências, ponha sempre a sua inteligência acima de qualquer beleza. Seja você mesma a sua maior inspiração - e superação.